A Lisbon Smart Mobility Week, uma semana de eventos sobre a mobilidade em Portugal, decorreu de 7 a 11 de março de 2018.

Atividades

Corrida de carrinhos autónomos e workshop da CiclOficina  da FCUL

3ªs Jornadas de Energia

As 3ªs Jornadas de Energia do Mestrado Integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa contaram com 10 oradores da indústria (Qart, PRIO Energy, Carris, Tecnoveritas, Siemens, ESRI, Zeev, APVE, Toyota e Enercoutim) e cerca de 30 participantes da indústria e da academia.

Download PDF de todas as apresentações

A temática andou à volta da mobilidade sustentável inteligente assente em carros elétricos autónomos partilhados e aplicações novas para o transporte público integradoras de todos os sistemas de transporte e facilitadoras das necessidades de mobilidade dos cidadãos. Estas ferramentas permitirão ao cidadão uma maior facilidade de deslocação multimodal. Foram apresentadas novas formas sensorizadas para contagem de tráfego e monitorização de poluentes simultânea, que permitem mapear e identificar as zonas com maiores problemas.

Optimização de recolhas numa cidade inteligente – ESRI (esquerda); Projeto Europeu Breathable Cities – Mestrado Integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente, FCUL (direita).

Realçou-se o facto de os carros movidos a hidrogénio com pilha de combustível serem também carros elétricos, podendo o hidrogénio ser produzido por energias renováveis  – “Green Hydrogen”. A utilização de biodiesel a partir de óleo alimentar 100% português reciclado e misturado com o gasóleo convencional foi apontado como um impulsionador da economia circular e alívio das nossas Etares.

As novas gerações Millennials querem novos conceitos de mobilidade – Carris (esquerda); Sistema 100% nacional para as bicicletas elétricas partilhadas de Lisboa – Siemens (direita).

Pela primeira vez, numa conferência deste tipo, foi abordado o transporte marítimo como um grande contribuidor para as emissões de NOx e PM2.5 ao longo da costa Portuguesa, onde há uma grande concentração das rotas de transporte de mercadorias, bem como de navios de turismo. Os navios têm de lidar cada vez mais com zonas de emissões controladas, em que os navios que ultrapassam os valores estipulados, pagam coimas, as chamadas Emission Control Areas (ECA). A diminuição do consumismo excessivo e a redução da velocidade de transporte foram apontadas como parte da solução para este problema.

Origem das emissões de PM2.5 e NOx na costa Portuguesa – Tecnoveritas (esquerda); O conceito de mobilidade inteligente – Zeev (direita).

Link para a notícia na Revista Veículos Elétricos.

Organização

Oficinas da Energia
Instituto Dom Luiz
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Mestrado Integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente